No que tange aos efeitos produzidos pelos tratados internacionais, pode-se reconhecer que alguns deles, por criarem ou modificarem relações jurídicas objetivas, produzem sobre a comunidade internacional desde um mero efeito exortativo até, em alguns casos, expressiva repercussão sobre terceiros, não como normas jurídicas, mas como fatos. Há, ainda, casos em que um tratado realmente opera como norma sobre um terceiro determinado, tanto para conferir-lhe direito quanto para obrigá-lo.

Nesse caso, trata-se do