Conceitos, Objetivos e Evolução da Função de Avaliação
Luciana Duranti (1994) questiona a validade teórica do conceito de avaliação, no âmbito da ciência arquivística. Segundo a autora, a atribuição de valor utiliza como critério de julgamento o conteúdo, afetando arbitrariamente a integridade do conjunto arquivístico, no todo e em suas partes. A única postura admissível ocorre quando a seleção é um dos mecanismos incorporados às rotinas e procedimentos que acompanham a criação, manutenção e uso dos documentos, e é baseada em sua funcionalidade e formas de acumulação.

Nesse caso, por apoiar-se em fatores contextuais, o sentido do conjunto não é reduzido ou modificado, mas concentrado e reforçado. Tais considerações deslocam o objeto da avaliação

Dentre os instrumentos que legitimam a destruição de documentos, figura

O procedimento que permite, no processo de avaliação, selecionar documentos considerados representativos do conjunto a que pertencem é a
Com relação à avaliação de documentos, julgue o item subsequente.

Segundo Schellenberg, para se definir o valor informativo dos documentos oficiais, três princípios fundamentais devem ser considerados: unicidade, naturalidade e conteúdo.

No que se refere ao arranjo em arquivos permanentes, julgue o seguinte item.

A organização dos documentos de valor secundário fundamenta-se na premissa de que, para o usuário, a informação contida no documento é mais importante do que o contexto que a criou.