Comércio Internacional

A globalização altera a concepção tradicional de fronteiras nacionais. Incessantes inovações tecnológicas ampliam e diversificam a capacidade de produção. O desenvolvimento dos meios de transporte e de comunicações facilita a interligação dos mercados. Para fixar regras relativas à condução do comércio entre os países, arbitrando conflitos de interesses, existe a (o)




Os manifestantes da foto têm como foco de protesto a atuação da Organização Mundial do Comércio (OMC), que conduz as negociações da Rodada de Doha.

Dentre os alvos dos protestos, destaca-se a seguinte diretriz da Rodada de Doha:


            A criação da OMC, ao término da Rodada Uruguai do antigo GATT, em 1995, constituiu um notável avanço para o incremento do comércio mundial a partir da fixação de normas para a resolução de pendências e correção de desequilíbrios no intercâmbio entre as nações.

            Nem sempre as decisões da OMC agradam às partes, mas são acatadas em razão do respeito que ela granjeou. Infelizmente, os EUA, a maior economia mundial, não se têm comportado como se fossem parte do sistema da OMC. Pelas atitudes tomadas, tem-se a impressão de que os EUA crêem ser o próprio sistema.

Gazeta Mercantil, 15/1/2002, p. 2 (com adaptações).

Tendo por referência o texto acima, julgue o item que se segue, concernente ao panorama mundial do comércio contemporâneo.

A OMC caracteriza-se por ser uma espécie de instância reguladora do comércio mundial, elaborando normas a serem seguidas pelos países que a integram e julgando os casos de litígio entre eles; o Brasil foi protagonista de algumas dessas ações, inclusive em relação a divergências com os EUA.

            A criação da OMC, ao término da Rodada Uruguai do antigo GATT, em 1995, constituiu um notável avanço para o incremento do comércio mundial a partir da fixação de normas para a resolução de pendências e correção de desequilíbrios no intercâmbio entre as nações.

            Nem sempre as decisões da OMC agradam às partes, mas são acatadas em razão do respeito que ela granjeou. Infelizmente, os EUA, a maior economia mundial, não se têm comportado como se fossem parte do sistema da OMC. Pelas atitudes tomadas, tem-se a impressão de que os EUA crêem ser o próprio sistema.

Gazeta Mercantil, 15/1/2002, p. 2 (com adaptações).

Tendo por referência o texto acima, julgue o item que se segue, concernente ao panorama mundial do comércio contemporâneo.

No passado recente, adquiriu repercussão o contencioso entre o Brasil e o Canadá em torno da acirrada disputa pelo mercado aeronáutico, com os dois países acusando-se de oferecerem subsídios ilegais às suas grandes empresas no setor, a EMBRAER e a Bombardier; a decisão da OMC foi integralmente favorável aos canadenses.

            A criação da OMC, ao término da Rodada Uruguai do antigo GATT, em 1995, constituiu um notável avanço para o incremento do comércio mundial a partir da fixação de normas para a resolução de pendências e correção de desequilíbrios no intercâmbio entre as nações.

            Nem sempre as decisões da OMC agradam às partes, mas são acatadas em razão do respeito que ela granjeou. Infelizmente, os EUA, a maior economia mundial, não se têm comportado como se fossem parte do sistema da OMC. Pelas atitudes tomadas, tem-se a impressão de que os EUA crêem ser o próprio sistema.

Gazeta Mercantil, 15/1/2002, p. 2 (com adaptações).

Tendo por referência o texto acima, julgue o item que se segue, concernente ao panorama mundial do comércio contemporâneo.

Uma das maiores críticas que se fazem atualmente aos EUA, em relação ao comércio internacional, diz respeito à insistência de Washington de manter em vigor uma legislação antidumping, de 1916, que permite a tribunais estaduais impor restrições unilaterais à importação sempre que um setor da economia norte-americana se sinta prejudicado pela concorrência externa.