Colocação pronominal
É claro que a revolução dos costumes causa impacto indireto na reavaliação do retorno esperado a longo prazo. É importante questionar o quanto o acompanhamento das preferências de consumo representa uma abertura para a melhoria das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. Todavia, o entendimento das metas propostas oferece uma interessante oportunidade para verificação das diretrizes de desenvolvimento para o futuro. O incentivo ao avanço tecnológico, assim como o julgamento imparcial das eventualidades desafia a capacidade de equalização dos métodos utilizados na avaliação de resultados.
Do mesmo modo, a valorização de fatores subjetivos deve passar por modificações independentemente das formas de ação.

Assinale a opção que corresponde a erro gramatical.

O IDH é um índice que, pela simplicidade, se (1) disseminou mundialmente, tornando-se (2) um parâmetro de avaliação de políticas públicas na área social, o que não é pouco, levando-se em consideração que há respaldo científico.

No entanto, para além das fi ligranas metodológicas, é preciso não se perder (3) de vista o ponto fundamental do IDH, que é medir a qualidade de vida para além de indicadores econômicos. Nesse sentido, ele é uma bem-sucedida alternativa ideológica do indicador puro e simples do Produto Interno Bruto, no qual (4) pode camuflar o real nível de bem-estar da maioria da população. Com o IDH, medir desenvolvimento humano passou a ser tão ou mais importante que aferir (5) o mero, e às vezes enganador, desenvolvimento econômico.
(Jornal do Brasil, Editorial, 7/10/2009, adaptado.)

Considere as informações abaixo para responder à questão abaixo.

I. "que pedir a eles" --> que lhes pedir
II. "defender o contribuinte" --> defendê-lo
III. "o primeiro instrumento eficiente capaz de punir os políticos" --> o primeiro instrumento eficiente capaz de os punir
IV. "seria obrigado a liquidar a fatura" --> seria obrigado a liquidar ela.

Dentre as informações acima aquelas que estão corretas quanto à substituição e colocação pronominal são apenas:

Quanto à norma culta, em relação aos termos grifados, assinale a opção correta.

Para que a intervenção governamental se justifique é preciso, primeiro, que se prove a existência de uma distorção que faça com que o mercado não aloque eficientemente os recursos. Segundo, que se pondere as alternativas para corrigir aquela distorção à luz de seus custos e benefícios. Pode-se concluir pela adoção de medidas corretivas, e de que tipo devem ser, somente após esta análise. Dada a realidade brasileira, é provável que essas tendam a ser muito mais relativas à natureza da política econômica do que da política industrial. Esta última ainda precisa ser muito melhor embasada.

(Adaptado de Cláudio Haddad)


            Um homem do século XVI ou XVII ficaria espantado com as exigências de identidade civil a que nós nos submetemos com naturalidade. Assim que nossas crianças começam a falar, ensinamos-lhes seu nome, o nome de seus pais e sua idade. Quando arranjarem seu primeiro emprego, junto com sua carteira de trabalho, receberão um número de inscrição que passará a acompanhar seu nome. Um dia chegará em que todos os cidadãos terão seu número de registro: esta é a meta dos serviços de identidade. Nossa personalidade civil já se exprime com maior precisão mediante nossas coordenadas de nascimento do que mediante nosso sobrenome. Este, com o tempo, poderia muito bem não desaparecer, mas ficar reservado à vida particular, enquanto um número de identidade, em que a data de nascimento seria um dos elementos, o substituiria para uso civil. O nome pertence ao mundo da fantasia, enquanto o sobrenome pertence ao mundo da tradição. A idade, quantidade legalmente mensurável com uma precisão quase de horas, é produto de um outro mundo, o da exatidão e do número. Hoje, nossos hábitos de identidade civil estão ligados, ao mesmo tempo, a esses três mundos.

Philippe Ariès. História social da criança e da família. Dora Flaksman (Trad.), p. 1-2 (com adaptações).

Com base no texto acima, julgue o item.

A substituição de "ensinamos-lhes" por ensinamos a elas preservaria tanto a correção gramatical do texto quanto as relações semânticas expressas no trecho em questão.