Classificação dos agentes públicos
O cidadão que é convocado ou designado para prestar, transitoriamente, determinado serviço ao Poder Público em razão da sua condição cívica ou de sua notória capacidade profissional, mas sem vínculo empregatício, é denominado agente

No entanto, não podemos esquecer que a consolidação das estruturas acarreta um processo de reformulação e modernização do investimento em reciclagem técnica. É claro que a crescente influência da mídia ainda não demonstrou convincentemente que vai participar na mudança do fluxo de informações. Por conseguinte, o fenômeno da Internet estimula a padronização do sistema de formação de quadros que corresponde às necessidades. A certificação de metodologias que nos auxiliam a lidar com a determinação clara de objetivos promove a alavancagem do sistema de participação geral.
Pensando mais a longo prazo, o surgimento do comércio virtual representa uma abertura para a melhoria dos níveis de motivação departamental.
Podemos já vislumbrar o modo pelo qual o novo modelo estrutural aqui preconizado possibilita uma melhor visão global dos relacionamentos verticais entre as hierarquias.

A respeito das necessidades temporárias de excepcional interesse público é correto afirmar, exceto:

Os empregados das denominadas empresas estatais (empresas públicas e sociedades de economia mista):
 
I. estão subordinados aos princípios constitucionais da legalidade, moralidade e eficiência.

II. estão submetidos aos ditames da Lei da Improbidade Administrativa (Lei n. 8.429, de 2.6.1992).

III. são regidos por regime jurídico próprio das empresas privadas, razão por que não se lhes aplica a Lei da Improbidade Administrativa.

IV. são equiparados a funcionários públicos, para fins de responsabilidade penal por crime contra a administração pública.

V. não estão proibidos de acumular, de forma remunerada, qualquer outro cargo público.
Estão corretas