Aspectos gerais e origens
Considere os dois agrupamentos abaixo, que se referem aos princípios de administração e sua aplicação:

I. Disciplina.

II. Unidade de comando.

III. Estabilidade do pessoal.

a. A baixa rotatividade dos funcionários é uma meta prioritária.

b. Todos os subordinados sabem quem é o seu superior imediato. Apenas dele recebem ordens e a ele prestam contas de seus atos.

c. As regras de comportamento são claras e bem definidas. Todos devem a elas se submeter.
 
A correlação correta entre eles é:
“______________ é uma consequência natural da autoridade e significa o dever de prestar contas a seu superior. Ambas devem estar equilibradas entre si.” Assinale a alternativa que completa corretamente a afirmativa anterior.
Na primeira dimensão (a histórica), múltiplas e sucessivas miscigenações, bem como a grande diversidade de influências que sofremos durante a industrialização e depois durante a internacionalização da economia, provocam um efeito de complexa hibridização no interior de nossas organizações. Ao refletir as influências − muitas vezes contraditórias − dessa diversidade, que interagem e se interpenetram, nossas empresas acabam gerando modelos diversos entre si e diversos das categorias ideais normalmente aceitas nos países de onde foram importadas ou nas culturas que nos inspiraram.

(CALDAS, M.P. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, 1997. p.88)
 

Do fragmento acima, apreende-se
Com relação à Teoria Geral da Administração, analise as afirmativas a seguir.

I. Permite que o administrador tenha condições pessoais de sucesso em qualquer organização independente do nível hierárquico ou da área de atuação.

II. Enfoca a necessidade de o administrador desenvolver habilidades pessoais de diagnóstico e de avaliação situacional para a tomada de decisões.

III. Busca solucionar problemas ou tentar soluções práticas, integradas à realidade empírica, para que o administrador participe das situações de interdependência das organizações.

Assinale:
O desenvolvimento da indústria de venture capital é um fenômeno relativamente recente no mundo, com exceção dos Estados Unidos da América, onde os primeiros esforços datam de 1930. Esta indústria se caracteriza como uma modalidade de financiamento específica distinta dos tradicionais mecanismos de financiamento e também em relação ao grau de envolvimento do investidor financeiro com a empresa inovadora. Sua principal característica é uma modalidade de financiamento que: