Artes, Culturas e Sociedades: do Renascimento ao Pré-romantismo

            É no estudo do passado das sociedades, buscando resgatar e compreender suas realizações, que descobriremos as motivações e os efeitos das transformações pelas quais passou a humanidade, reunindo, assim, os elementos que ajudam a explicar a nossa atualidade. A periodização da História utilizada no Ocidente deve ser encarada de forma crítica, pois trata-se de uma concepção de história que tem a Europa como eixo e acredita no desenvolvimento linear da humanidade, que caminharia de estágios mais atrasados para mais avançados, em uma trajetória evolutiva do mais simples para o mais complexo, tomando a Europa como modelo mais desenvolvido. Dentro disso, o termo pré-história carrega a idéia errônea de povos anteriores, como se o conjunto de ações dos seres humanos, mesmo daqueles sem escrita, não fosse também história.

Cláudio Vicentino. História geral. São Paulo: Scipione, 2002, p. 8 (com adaptações).

Tomando o texto acima como referência inicial e considerando a trajetória das sociedades humanas ao longo do tempo, julgue o item que se segue.

Na Europa, os Tempos Modernos iniciaram-se com um conjunto de expressivas transformações, a exemplo do Renascimento cultural, da Reforma religiosa, das Grandes Navegações e Descobrimentos e do surgimento dos Estados Nacionais.
Todas estas questões, devidamente ponderadas, levantam dúvidas sobre se o entendimento das metas propostas nos obriga à análise do retorno esperado a longo prazo. A nível organizacional, a constante divulgação das informações é uma das consequências dos modos de operação convencionais. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como a mobilidade dos capitais internacionais estende o alcance e a importância de alternativas às soluções ortodoxas.
Tendo em vista, a crescente influência da mídia oferece uma interessante oportunidade para verificação das diversas correntes de pensamento.
O Renascimento foi um período da história que se notabilizou
Podemos classificar Os Lusíadas, de Luís Vaz de Camões (1525-1580) como uma das maiores obras literários do mundo ocidental. Escrita no contexto renascentista, essa texto tem grande valor histórico, por isso destacamos um trecho da referida obra para que possamos analisar:

“Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandre a Trajano
A fama das vitorias que tiveram;

Que eu canto o feito ilustre Lusitano,
A quam Neptuno e Marte obedeceram:
Cesse tudo o que a musa antiga Canta
Que outro valor mais alto se alevanta. ”

As afirmações abaixo tratam da comparação feita por Camões, do período histórico em que estava vivendo com outra, e por quem advoga.

I. Camões compara os feitos da sociedade Lusitana de seu tempo com a Antiguidade Clássica, argumentando que as realizações dos portugueses são superiores;

II. O autor compara a Antiguidade Clássica, de Alexandre, imperador Romano e Trajano, da Macedônia, por suas navegações não terem sido tão grandiosa quanto a dos portugueses de seu tempo;

III. Que o período da Antiguidade Clássica obteve vitorias, como a sociedade portuguesa quinhentista, destacando que os portugueses não crêem em Neptuno ou Marte por serem cristãos;

IV. Que o feito lusitano das grandes navegações promove o “valor mais alto que se alevanta”, frente às realizações de outras sociedades.

Estão corretas as afirmativas:
Observe a imagem.
 
Esse desenho de Leonardo da Vinci relaciona-se